Ribeirão Preto, 26 de Outubro de 2014
[ Busca avançada ]
Nenhuma chamada para o dia de hoje.

23/02/10 - 16h07

Seu cachorro já teve uma crise convulsiva?

Tamanho da letra: A- A+

Fonte: Ribeirão Preto Online

Os donos de cachorros precisam ficar em alerta com a saúde de seu animal para evitar crises de convulsões e epilepsias. Para aqueles que não sabe a diferença entre essas duas doenças, convulsões são um ataque súbito involuntário do cérebro, geralmente manifestando-se como uma atividade muscular descontrolada. Já a epilepsia é a recorrência ou repetição das convulsões, principalmente quando a causa fundamental não pode ser identificada (epilepsia idiopática).

Dependendo de como estiver a saúde do cachorro, basta um susto provocado por um trovão, rojões, para que o animal seja afetado pela doença. A epilepsia idiopática aparece frequentemente em cães de raça Cocker Spaniel, Beagle, Pastor Alemão e Setter Irlandês.

Os sintomas de uma convulsão consiste em intenso tremor e salivação. Quem já presenciou uma pessoa nessas condições, os sintomas são praticamente os mesmos.

Os animais que possuem crises de epilepsia com frequência, geralmente estiveram nervosos e desorientados antes da convulsão. Cabe ao dono prestar atenção no comportamento do animal e, se for necessário, levá-lo a um veterinário para prevenir a manifestação da doença.

Para saber se o seu cão possui predisposição para adquirir a doença, basta fazer uma pesquisa para saber se os pais do cachorro possuem a doença, que é hereditária.

A epilepsia não possui cura, mas alguns tratamentos anti-convulsivos reduzem a freqüência das crises convulsivas.

Durante as crises convulsivas, os proprietários precisas seguir algumas recomendações. Primeiro, o dono precisa ter cuidado para que o cão não se machuque batendo em objetos cortantes ou caindo de um lugar alto.

Em seguida, deve observar se a língua não irá obstruir a passagem de ar, o que pode acarretar a morte do cão por asfixia, portanto, nessa situação, é preciso consultar o veterinário para saber qual método será utilizado para que o cão não morda a mão do proprietário durante a crise.

Enquanto o animal estiver em crise convulsiva, o dono deve conversar a todo momento para tentar acalmá-lo. É importante lembrar que, na maioria das vezes, o animal perde a consciência, podendo não conhecer as pessoas da casa.

 

 

Comente a notícia no Facebook























© 2002-2014 Ribeirão Preto Online - Um novo jeito de ver Ribeirão. Todos os direitos reservados.

Ribeirão Preto Online, Ofertas de Veículos e Imóvel da Cidade são produtos da Empresa Brasileira de Mídia Online. É proibida a reprodução do conteúdo deste portal em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem prévia autorizaçao.